Buscar
  • Vereador Pedro Kawai

Terras de Piracicaba e Poder Público se unem para evitar aglomerações

Vereador Pedro Kawai está intermediando as tratativas entre moradores e representantes da Prefeitura; reunião aconteceu hoje (08)




Nos últimos meses, jovens estão se reunindo no entorno da rotatória que dá acesso aos condomínios Terras de Piracicaba para ouvir músicas, consumir bebidas e se divertir, causando aglomerações. Uma ação conjunta entre poder público e a iniciativa privada deverá ser o caminho para amenizar o incômodo e a insegurança que a situação vem causando aos condôminos.


A decisão foi tomada em uma reunião realizada hoje (08) intermediada pelo vereador Pedro Kawai (PSDB) entre representantes dos condomínios Terras de Piracicaba II, IV e V e o secretário municipal de Transito e Transportes e Mobilidade Urbana, José Vicente Caixeta Filho, a coordenadora do Centro de Referência à Saúde do Trabalhador e coordenadora da blitz noturna, Clarice Aparecida Bragantini, o subinspetor da Guarda Civil Municipal, Ronaldo Teodoro, José Oscar Silveira Junior, representante da SEDEMA (Secretaria Municipal de Meio Ambiente) e o capitão da Polícia Militar, Daniel Munhoz.


Flávio Aparecido Luiz, síndico do Terras II, disse que essa situação acontece já há quase dois anos. “É muita gente, chega a aglomerar 300, 400 pessoas, fica muita sujeira e isso tudo gera muita insegurança aos moradores”, afirmou. Rosângela Camolesi, ex-secretária municipal da Ação Cultural e Turismo e mantenedora do Instituto Atlântico, que também é alvo das aglomerações, pede a presença da polícia, já antes mesmo do início do encontro, para coibir a entrada na rotatória onde há a aglomeração. "Seria interessante também uma câmera na rua neste local, para ajudar na fiscalização", disse Rosângela.


Ana Paola Lourenço, do Terras IV, sugeriu um trabalho de conscientização junto aos moradores. “Precisamos falar com os pais dos adolescentes para que ninguém que more lá no condomínio participe dessas aglomerações”, afirmou.


Clarice, da blitz noturna da Vigilância à Saúde disse que esses encontros aumentaram com a pandemia, com a falta de opções de locais para os jovens se reunirem e se divertirem. “Como os bares tem hora para fechar, eles se aglomeram nas avenidas, nas ruas para conversar, beber, ouvir música”, afirmou. Ela disse que irá levar o problema na reunião semanal do grupo da blitz noturna e que irão no local novamente. "Quando chegamos, eles já dispersam. Estivemos lá outras vezes e foi assim", contou.


O secretário José Caixeta Filho citou um exemplo bem-sucedido. Segundo ele, no condomínio Bella Vista, o mesmo problema estava ocorrendo. “Lá instalamos placas de proibido estacionar no período noturno e lombadas para evitar rachas. Fizemos o projeto e os condôminos executaram. Deu resultado”, afirmou.


O subinspetor Ronaldo, da Guarda Civil, disse que esse problema se estende em toda a cidade, em vários bairros. “Nós vamos, mas são muitos locais para atender”, afirmou. As blitz noturnas acontecem todos os finais de semana, pela Vigilância à Saúde em conjunto com a Polícia Militar e Guarda Civil, mas como são muitos pontos da cidade em que ocorrem as aglomerações, nem sempre é possível atender todas as denúncias e solicitações.


Pedro Kawai acredita que o caminho seja realmente a parceria, e disse que vai marcar uma reunião com representantes dos moradores, comerciantes e instituições com a Semuttran para verificar a possibilidade de instalação de placas de proibido estacionar no período noturno. Ele também propôs uma campanha de conscientização de condôminos e a instalação de câmera de vigilância na rua e ampliação de rondas na região.








Texto: Rebeca Paroli - MTB 25.992

Supervisão: Rodrigo Alves - MTB 42.583

29 visualizações0 comentário