Buscar
  • Vereador Pedro Kawai

Regularização de ligações de água é tema de reunião no Semae

Pedro Kawai e lideranças foram recebidos pelo presidente da autarquia Maurício Oliveira


Representantes dos loteamentos Roma 1, 2, 3 e 4, no bairro Pau Queimado foram recebidos, esta semana, no SEMAE (Serviço Municipal de Água e Esgoto), para uma reunião técnica, solicitada pelo vereador Pedro Kawai (PSDB). O tema do encontro, que ocorreu na sala do presidente da autarquia, Maurício Oliveira, foi a regularização de ligações de água para cada um dos empreendimentos.


Marcos Pereira e Lilian Lúcia Aguiar, que representam dois dos quatro loteamentos, foram ouvidos pelos técnicos do SEMAE, sobre as razões pelas quais justificaram a necessidade do fornecimento de água tratada, contudo, de acordo com as explicações de Antonio Carlos Schiavon, chefe de divisão, há procedimentos legais que precisam ser respeitados e seguidos. Uma dessas exigências, segundo ele, é a aprovação da Secretaria Municipal de Obras, pela qual passam todos os processos de regularização de loteamentos e condomínios.


Apenas um dos loteamentos já constituiu associação de moradores, mas todos estão com o processo em andamento junto à Secretaria Municipal de Obras. Mesmo assim, as ligações individualizadas só serão efetuadas após a regularização de cada um deles.


De acordo com o vereador Pedro Kawai, o primeiro passo seria a divisão formal dos empreendimentos. “A busca pela regularização, em andamento, já é um primeiro passo para garantir, não apenas o direito a água, mas a outros serviços de infraestrutura urbana, indispensáveis para a instalação das futuras moradias”, considerou.


As lideranças saíram da reunião satisfeitas com as explicações dadas pelo Semae, assim como Kawai que, mais uma vez, agradeceu ao presidente da autarquia por acolher o seu pedido com rapidez e importância.




Texto e foto: Assessoria parlamentar

Supervisão: Rodrigo Alves - MTB 42.583

Revisão: Marcelo Bandeira - MTB 33.121

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Lembro-me quando, pela primeira vez, trabalhei na Festa das Nações. Tinha 12 anos e, com meu pai e irmã, ajudei na montagem da barraca japonesa. Limpava e servia as mesas e varria o chão. Me sentia im