Buscar
  • Vereador Pedro Kawai

Luta, perseverança e superação


Dois acontecimentos coincidentes marcaram a última reunião ordinária da Câmara Municipal de Piracicaba, ocorrida presencialmente, na segunda-feira passada, dia 11 de abril: o depoimento do dirigente sindical José Osmir Bertazzoni, que utilizou a Tribuna Popular para relatar a luta dos servidores públicos municipais pelo reconhecimento profissional; e a palestra proferida pela Silvia Rigoldi Simões e Maria Lúcia Sant'Anna, da Colibri - Associação Brasil Parkinson Núcleo Piracicaba, que discursaram sobre a conscientização da doença de Parkinson.


Apesar de os temas, aparentemente, não terem relação entre si, ambos coincidem em seus propósitos: conscientizar pessoas sobre a importância de outras pessoas.


No caso da luta dos trabalhadores e trabalhadoras que atuam no serviço público, já me manifestei, em artigo publicado semana passada, aqui mesmo em A Tribuna Piracicabana, o que não me impede, novamente, de reafirmar a minha solidariedade e o meu apoio à categoria, porque reconheço sua importância para a sociedade.


Já, no que se refere ao Dia Mundial da Conscientização do Parkinson, celebrado em 11 de abril, a presença de Silvia Simões, na cadeira da presidente da Câmara Municipal de Piracicaba, com a sua inquietude involuntária, e sua determinação inabalável, nos tocou a todos.


Silvia é um símbolo de luta e de resistência, assim como os nossos servidores. Com a sua sabedoria e a consciência da importante missão que carrega, nos contou sobre essa doença que afeta milhões de pessoas em todo mundo, e que está mais próxima de nós do que podemos imaginar.


Assim como ela, Maria Lúcia também nos brindou com a sua presença e o seu depoimento sobre o trabalho que a Colibri realiza em Piracicaba, sobretudo, na disseminação de informações qualificadas e verdadeiras sobre as formas de se conviver com a doença e de ajudar quem ainda não a compreende.


Ano passado, no auge da pandemia da Covid-19, quando estávamos confinados em casa, limitados por fatores alheios à nossa vontade, restritos de uma vida plena, assim como os parkinsonianos, Silvia estava lá, forte, inabalável, participando de uma “live especial” que fiz pelo Instagram, sobre o mesmo tema.


Naquela oportunidade e, novamente agora, esta mulher nos deu uma verdadeira aula sobre convivência, tolerância, solidariedade, respeito ao próximo e compreensão das nossas próprias fraquezas e limitações, algo que muitos, mesmo sem um único sintoma de qualquer doença que seja, sequer têm a humildade de reconhecer.


O Dia Mundial do Parkinson sempre nos traz de volta, o alerta para a necessidade de olharmos para as nossas próprias vidas, a fim de que tenhamos a valiosa oportunidade de refletir sobre o verdadeiro sentido das nossas existências. Qual é a nossa missão, o que podemos fazer para melhorar a vida das pessoas que nos cercam e até mesmo daquelas com as quais, muito provavelmente, jamais cruzaremos um dia.


Esta semana, que se encerra com a reflexão sobre o sentido da morte para as nossas vidas, trazendo a Páscoa do Nosso Senhor Jesus Cristo como referência, revelou, em uma mesma ocasião, durante a 10ª reunião ordinária da Câmara Municipal de Piracicaba, que é possível converter a intransigência e a intolerância em amor, em solidariedade e empatia.


Pedro Kawai é vereador pelo PSDB e membro do Parlamento Metropolitano de Piracicaba

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Lembro-me quando, pela primeira vez, trabalhei na Festa das Nações. Tinha 12 anos e, com meu pai e irmã, ajudei na montagem da barraca japonesa. Limpava e servia as mesas e varria o chão. Me sentia im