Buscar
  • Vereador Pedro Kawai

Covid-19: Pedro Kawai reforça papel do Ministério da Saúde por vacinas

"Nós precisamos cobrar o Ministério da Saúde que compre as vacinas e distribua. E que dê conta de uma vacinação tão grande", defende o parlamentar em prol de Piracicaba


O vereador Pedro Kawai (PSDB), na 8.ª reunião ordinária de 2021, na noite de ontem (25), utilizou os cinco minutos regimentais, destinados a líderes partidários, para chamar atenção sobre o papel do Ministério da Saúde, que deve receber cobrança na encomenda de mais vacinas e melhor distribuição pelo país, o que também inclui a cidade de Piracicaba, no plano nacional de vacinação.


O parlamentar iniciou suas considerações com destaque na fala do vereador Cássio Godoy (PP), sobre o problema da falta de vacina local, onde o secretário municipal de Saúde, Filemon Silvano arrolou a Secretaria de Desenvolvimento Regional, que repassou ao Ministério da Saúde a responsabilidade da distribuição da vacina. "E, eu fui pesquisar o PNI (plano nacional de Imunização), que fala da logística que é 6.3.4, entre outras coisas, com o objetivo de promover a adequada distribuição, coordenação de logística, que se responsabiliza pelo envio das vacinas", disse.


"Seguindo neste artigo, do plano nacional, as análises com resultado, as cidades precisam mandar, os estados mandam e o Ministério responde, e dependem da liberação do sistema, de insumos estratégicos, para distribuição nas 27 unidades da federação. Tem que chegar em até cinco dias. O que é importante salientar, e aí é que está a grande preocupação, temos que aprovar mais vacinas, o Ministério da Saúde tem que comprar mais vacinas, para poder atender as pessoas em um tempo hábil, é por isso que foi criado critério para alguns grupos, também para profissionais de vacinação, e essa compra o Ministério da Saúde precisa dar uma força, porque se não, não vai dar conta para vacinar, se continuar do jeito que está, vai até 2025."


"Eu não li ainda, mas até onde eu sei, com a Pfizer, que liberou com registro definitivo, as Coronovac e Sinovac são emergenciais. Eu acredito que agora possa ter algo neste sentido. Nós precisamos cobrar o Ministério da Saúde, que ele compre as vacinas e distribua. E que dê conta de uma vacinação tão grande. Houve uma grande confusão, estavam registrando que inverteu o envio de vacina do Acre", concluiu o parlamentar, que na sequência foi aparteado pelo vereador Paulo Camolesi (PDT), que reforçou a importância de Piracicaba comprar mais vacinas.

Matéria: Martim Vieira

Foto: Fabrice Desmonts

Câmara de Vereadores de Piracicaba



1 visualização0 comentário