top of page
Buscar
  • Foto do escritorVereador Pedro Kawai

Câmara recebe alunos da Manassés Ephrain e Helio Penteado de Castro

A convite de Pedro Kawai escolares participaram do programa Conheça o Legislativo, em retrospectiva histórica e cívica, passando pelos três poderes da República.


Nesta quinta-feira (9), alunos do 9º ano das escolas estaduais: Manassés Ephrain Pereira, do Jardim Monte Líbano, pela manhã, sob a responsabilidade da professora de Português, Luana Pereira de Souza, perante os 39 estudantes e, da Helio Penteado de Castro, do bairro Parque Piracicaba (Balbo), na parte da tarde, em coordenação das professoras Cláudia Tavares Torquato (Português) e Acacia Teixeira (História), perante um grupo de 35 jovens participaram do programa Conheço o Legislativo, a convite do vereador Pedro Kawai (PSDB). Os alunos conheceram algumas das instalações do prédio principal da Câmara, como o Memorial Prudente de Morais e a galeria de ex-presidentes do Legislativo Municipal. Em seguida, foram direcionados ao plenário Francisco Antonio Coelho, onde quatro alunos se sentaram nas cadeiras da Mesa Diretora e os demais ocuparam os lugares dos vereadores no plenário, totalizando 23 parlamentares. Para ambas as escolas, o vereador Pedro Kawai destacou a importância dos alunos conhecer a Casa de Leis. "Só vamos valorizar aquilo que conhecemos", frisou o parlamentar ao falar da valorização política, sendo que tudo o que fazemos na vida é um ato político. Kawai também discorreu sobre o histórico da implantação do Programa Conheça o Legislativo e, lembrou que hoje temos um vereador eleito - Gustavo Pompeo (Avante) - que ainda no período escolar, quando tinha 13 anos, em 2009, participou do Programa Conheça o Legislativo, como estudante da Escola Luiz Gonzaga, da Vila Industrial, sendo que foi primordial o seu despertar sobre política partidária ao conquistar uma cadeira no Legislativo nas eleições de 2020.


O vereador Pedro Kawai também reservou uma fala especial aos alunos da escola Hélio Penteado de Castro, ao discorrer sobre o legado político da então vereadora Ivete Madeira (PT), que além de residir no Parque Piracicaba foi uma autêntica líder comunitária, sempre disposta a lutar por causas sociais, principalmente na questão da moradia e educação, que foram suas linhas mestras de atuação. Kawai também lembrou aos alunos que em reverência à memória da ex-parlamentar, a Câmara Municipal de Piracicaba denominou o hall principal da Casa de Leis, que ostenta o nome de Ivete Madeira.


Num gesto simbólico, o vereador Pedro Kawai ofertou às professoras um exemplar do livro da historiadora piracicabana, Marly Perecin, que narra a história de Piracicaba nos 200 anos da Câmara Municipal, completados em 11 de agosto de 2022. PALESTRAS - Dayane Cristina Soldan, arquivista do setor de Gestão de Documentação e Arquivo - na parte da manhã e, Michele Pecorari, também servidora da Câmara, neste mesmo Departamento, já na parte da tarde, apresentaram aos alunos aspectos históricos da cidade e da Câmara – como a trajetória do município, primeiro como povoado, depois como vila e, por fim, enquanto cidade, explicando a diferença entre as classificações. As servidoras também comentaram sobre o sistema Atom, que abriga o acervo histórico digital da Casa, convidando os adolescentes a acessarem os documentos disponíveis. Em seguida, Bruno Didoné de Oliveira, servidor do mesmo setor, para os alunos de ambas escolas, destrinchou as diferenças entre os três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário – e suas atribuições, bem como a localização espacial dos mesmos em Piracicaba, respectivamente na Prefeitura, Câmara e no Fórum. O servidor exibiu, ainda, imagens dos representantes na esfera municipal, federal e estadual dos três poderes. Os estudantes puderam assistir, também, a duas campanhas em vídeo, produzidas pelo Tribunal Superior Eleitoral que buscam defender e divulgar a segurança das urnas eletrônicas, através das quais são realizadas as eleições no país desde 1996. A servidora Érica Dinis, por sua vez e, para ambas as turmas, explicou o que são e quais as finalidades das leis, além de apresentar a Escola do Legislativo da Câmara Municipal de Piracicaba "Antonio Carlos Danelon - Totó Danelon", que oferece gratuitamente à população atividades que promovem a educação cidadã, e o Parlamento Aberto, projeto que visa à transparência pública no Legislativo. Guiados por Érica, os alunos deram início à simulação de uma reunião ordinária, seguindo os protocolos regimentais, como a abertura da sessão e a entrada das matérias a serem votadas. Na parte da manhã o projeto discutido propunha a criação de um centro para a recolocação de pessoas em situação de rua. Quatro estudantes puderam ocupar a Tribuna para argumentar de forma favorável ou contrária ao projeto de lei fictício. Os favoráveis justificaram a criação deste organismo, porém, com algumas ressalvas para também amparar pessoas formadas e com diplomas universitários que hoje perambulam pelas ruas. Já os contrários apontaram que o projeto de lei é incompleto e, que demandaria muito dinheiro para a construção. Ao final da simulação, os “vereadores” aprovaram o projeto de lei fictício com 11 votos contrários e 12 votos a favor. Na formação da "Mesa Diretora", pela escola Manassés Ephrain: Nikolly Thais Almeida Santos (presidente), Nathália Ferreira Ramos (vice-presidente), Damaris Eduarda Lopes da Silva (1º secretário) e Brayan Bertoncello (2º secretário). A aluna Natália Ramos defendeu o projeto. "É muito difícil a condição de se morar na rua. Há que se dar proteção a estas pessoas", disse a estudante na defesa a favor da lei.


Maria Eduarda concordou com a iniciativa, desde que o município estude melhor a lei. Embora votando contra a legislação, a aluna alega que estas pessoas "não querem ser ajudadas, preferindo ficar nas ruas", disse.


Já a aluna Izabela Dantas foi bem sucinta em suas considerações ao afirmar que "aprova a criação da lei". Nicole Santos foi outra aluna a se colocar contra o projeto. "Criar um projeto sem estabilidade e sem ter local correto não é eficiente", ponderou.


Letícia Santos se posicionou a favor da lei e defendeu um acompanhamento para estas pessoas, bem como um aprendizado técnico para melhor aproveitamento da capacidade destas pessoas ao serem realocadas para uma casa específica.


Lorena Barbosa destacou o fato de que nem todos querem sair das ruas. Lucas Solano se disse contra a lei pois não há material suficiente para todos. "O melhor é que este projeto vá para o arquivo", disse.


Victor Godoi fechou o ciclo de discussões para dizer que também é contra o projeto. "Não só os em situação de rua precisam de ajuda", alertou o aluno ao também lembrar que muitos na sociedade precisam de uma cesta básica e outras ajudas para sobreviver.


Em nome da comunidade escolar da Manassés Ephrain, a professora Luana Pereira de Souza agradeceu a acolhida da Câmara. "Foi uma manhã de muito aprendizado, o que fortalece as pessoas como cidadão. Devemos lutar por uma sociedade mais justa e igualitária", concluiu a educadora.


CELULAR - os alunos da escola Hélio Penteado de Castro debateram um pojeto fictício sobre a proibição do celular em sala de aula. A legislação foi aprovada com quatro votos contra e os demais a favor.


A aluna Pérla da Silva Santos votou a favor do projeto e alertou sobre a necessidade de se ter um controle sobre esta iniciativa. "Se vai tirar a concentração do aluno então não deve ser usado", disse.


Miguel Henrique Feliciano Gonçalves também votou a favor da proibição do celular em sala de aula. "Internet não pode ser fonte rasa de consulta. Há que buscar os livros", disse.

Ingrid Gabrielly Derrico Paranhos foi contra o projeto por entender que no mundo como está hoje, o celular não é usado com consciência. "Ninguém saberá por limite. Os livros são mais apropriados", concluiu a estudante ao também comentar que o celular está levando as pessoas a se afastarem dos estudos.


João Vitor também deu o seu voto contra o uso do celular em sala de aula por entender que isso tira a concentração do aluno. "Também atrapalha os professores", alertou.

Melque de Jesus Santos se disse contra por não achar útil o celular nas salas de aulas. Miguel Otávio foi outro aluno a votar pelo celular por entender que isso pode auxiliar nos estudos.


ACOLHIDA - a professora Acácia Teixeira ocupou a tribuna da Câmara para registrar a satisfação da escola ter sido recebida na Casa de Leis, a convite do vereador Pedro Kawai. Emocionada, a educadora fez questão de registrar o quanto ficou grata em ver o desempenho de seus alunos nas manifestações de pensamentos ao discursar, enfrentando o desafio de falar em público e estar à frente dos microfones da Câmara. "A vida não termina no muro da escola, no bairro que você mora", concluiu a professora ao enfatizar que há todo um mundo lá fora que precisa ser descortinado pelos jovens.


Na formação da mesa diretiva dos trabalhos se destacaram os alunos: Julia Nascimento Ferreira (presidente), Vitória Mirabel (vice-presidente), Ingrid Gabrielly Derrico Paranhos (1º secretário) e Letícia Maria (2º secretário).


SERVIÇO - escolas que tenham interesse em participar do projeto Conheça o Legislativo podem entrar em contato com a Escola do Legislativo "Antônio Carlos Danelon - Totó Danelon" pelo telefone 3403-7129.


Texto: Martim Vieira - MTB 21.939

Supervisão: Rebeca Paroli Makhoul - MTB 25.992


77 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page