Buscar
  • Vereador Pedro Kawai

Brasil tem 16 milhões de pessoas com diabetes, aponta especialista

Jussara Bueno utilizou a tribuna popular para fazer um balanço do evento "Um Olhar Azul", realizado no estacionamento da Câmara, com apoio do vereador Pedro Kawai (PSDB)


Foto: Guilherme Leite - MTB 21.401

Jussara Teixeira Bueno utilizou a tribuna popular da Câmara Municipal, durante a 49ª reunião ordinária, realizada nesta quinta-feira (2), para explanar sobre o evento “Um Olhar Azul”, realizado no estacionamento do Legislativo, no dia 6 de novembro, com o objetivo de divulgar a diabetes e o câncer de próstata, com prevenção e conscientização.


Ela representou o grupo “Amigos do Diabetes'' e fez um balanço dos trabalhos realizados. "Em 2015 começamos um trabalho para iniciar essa ação. Tivemos nesse intervalo algumas leis, temos o vereador Pedro Kawai (PSDB) que nos apoia. Em 2018 fizemos diversas ações e instituímos um grupo de amigos no WhatAapp para a prevenção do diabetes. Tivemos ações presenciais com mais de mil procedimentos", afirmou.


Segundo ela, o Brasil tem 16 milhões de pessoas com diabetes. "Nosso maior desafio: 50% não estão diagnosticados. Como vamos tratar de pessoas que não sabem que estão doentes? Diabetes é uma doença silenciosa e está atingindo o nosso planeta", afirmou.


Para finalizar, Jussara agradeceu a Câmara, os gabinete do vereador Pedro Kawai e o próprio vereador. "Foram 866 procedimentos realizados em 2021 O diabetes é uma doença muito importante e precisamos nos unir para definir os próximos passos”, afirmou


Em aparte, a vereadora Alessandra Bellucci (Republicanos) agradeceu a oradora pelo trabalho.


Confira a fala completa no vídeo anexo.





Texto: Rebeca Paroli Makhoul - MTB 25.992

Supervisão: Ricardo Vasques - MTB 49.918

Imagens de TV: TV Câmara


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Lembro-me quando, pela primeira vez, trabalhei na Festa das Nações. Tinha 12 anos e, com meu pai e irmã, ajudei na montagem da barraca japonesa. Limpava e servia as mesas e varria o chão. Me sentia im